top of page

Noé ou Pirata na Pandemia?


A verdade é que estamos em guerra, uma Guerra Fria, que é diariamente polarizada pelas forças do capitalismo e da vida, que mostra o contraste entre a ideologia e ciência.


Vivemos em tempos de crimes, não de crise somente, tempos de engenharia social com o objetivo de promover um apagão da consciência da sociedade. Um tempo de manipulação, onde qualquer um, de forma imoral, antiética, inescrupulosa e cruel, no sentido mais amplo da palavra, faz uso da persuasão, do poder político, poder econômico e poder de influência, que ultrapassa e abusa da ingenuidade e da confiança da sociedade a fim de controlar ou induzí-la. Há uma tentativa real de fazer uma lavagem cerebral através da veiculação de notícias falsas, sem comprovação, como se fossem verdadeiras.


Perdemos a capacidade de usar de forma positiva nosso livre arbítrio? Perdemos o respeito pelas relações hierárquicas? Somos testemunhas da deterioração da confiança nas relações interpessoais, nas relações médico-paciente, que deveriam ser privadas e pessoais? Até quando seremos tratados como gado?


Triste constatar que perdemos o equilíbrio para tomar boas decisões. Quando foi que nos tornamos pessoas destemperadas e sem valores morais, éticos, humanos e espirituais? Hoje somos partícipes de uma falsidade ideológica e nos comportamos como se fôssemos especialistas em Covid?


Consequência da complexidade do comportamento do ser humano? Abraham Maslow em 1959 publicou a teoria da motivação humana baseada na hierarquia das necessidades humanas básicas. Esta teoria parte do princípio de que todo ser humano tem necessidades comuns que motivam seu comportamento no sentido de satisfazê-las.


A Pandemia desconstruiu as necessidades fisiológicas humanas a partir do momento que ela nos privou, por exemplo, da liberdade, da homeostase; destruiu as necessidades de segurança, com por exemplo, a segurança do corpo, do emprego, de recursos, da moralidade, da família, da saúde.


Rompeu com as nossas necessidades de Amor e Relacionamentos, quando nos afastou das amizades e da família através do distanciamento; no mesmo caminho também atacou a nossa necessidade de estima. O vírus abalou nossa confiança, limitou nossa capacidade de conquistar e finalmente, e não diferente, a nossa necessidade de realização pessoal quando deixa claro nossa incapacidade de solucionar este problema, pelo menos a curto prazo. Tudo isso é grave, pois a pandemia desequilibrou muitas de nossas necessidades humanas inatas.


Por isso estamos sem rumo, desequilibrados e alguns vivendo até em pânico pois a pandemia é incerta mas a crise econômica e emocional são certas. Fazendo uma analogia à passagem bíblica da arca de Noé e o dilúvio: Hoje, muitos estão construindo um Barco Pirata para o dilúvio moral e ético. Muitos de nós estão embarcando neste Barco Pirata. Mas existem outras opções e outras escolhas...


Podemos embarcar na arca do conhecimento científico e do respeito à vida. Mais uma vez depende exclusivamente de nós mesmos optar por um destes caminhos.


Seremos o Noé cuidadoso ou o Pirata destemido e audacioso?


É tempo de repensar os próximos passos, nossas atitudes, nosso comportamento ético frente esta Infodemia de informações imprecisas e perigosas.


É certo que sairemos desta pandemia mas a pergunta a ser feita é em qual barco?


Se cuidem. Procurem fontes de informação confiáveis e ouçam apenas lideranças de credibilidade e referência na área de saúde.


Por Prof. Christiano Quinan

83 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 Σχόλιο


Eh... Eu entendo a criticidade do momento e que até mesmo a ciência, no seu mais alto nível, está desafiada. Mas isso não mitiga a dificuldade que encontro para escolher as lideranças que merecem confiança

Μου αρέσει
bottom of page